Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Distribuir é a palavra de ordem para quem quer crescer no mercado com tecnologia em 2022. Por isso é importante conhecer a Empresa Distribuída

Em essência, empresas distribuídas (EDs) representam um novo modelo de negócios digital, ou virtual-first. A consultoria Gartner aponta que o conceito surgiu de duas áreas diferentes: o trabalho remoto resultante das restrições impostas contra a COVID-19, que exigiu novas ferramentas e uma flexibilização, e a indisponibilidade dos consumidores no comércio presencial.

Assim, as empresas distribuídas surgiram com uma abordagem virtual-first e remote-first, digitalizando processos para proporcionar melhores experiências tanto para os trabalhadores quanto para os clientes.

CEO’s desejam três coisas: crescimento, digitalização e eficiência. É o que diz a Gartner, sobre o cenário do digital business. Estas foram as definições a que chegou a pesquisa feita por eles, com organizações do setor, que definiu as 12 principais tendências estratégicas de tecnologia para 2022.

Segundo o vice-presidente de pesquisa do Gartner, David Groombridge, as prioridades dos líderes de TI neste ano devem refletir a necessidade de gerar crescimento por meio de conexões digitais diretas com os clientes e encontrar soluções que multipliquem a força dos recursos de tecnologia.

Partindo desse contexto, o Gartner espera que as trends previstas para 2022, atuem como multiplicadores de força de negócios e inovação digital ao longo dos próximos três a cinco anos.

Reformulações e mudanças técnicas na Empresa Distribuída, são a base para a implantar as novas ações

shutterstock 1689579709 1 - Tag Chat

Até 2023, 75% das organizações que aproveitam os benefícios do modelo distribuído terão um crescimento de receita 25% mais rápido que seus concorrentes, afirma a Gartner. Com o aumento dos padrões de trabalho remotos e híbridos, as organizações tradicionais centradas em escritórios estão evoluindo para empreendimentos distribuídos, compostos por trabalhadores geograficamente dispersos. 

“Isso requer que os CIOs façam grandes mudanças técnicas e de serviços para oferecer experiências de trabalho sem atrito, mas há um outro lado dessa moeda: o impacto nos modelos de negócios”, diz David Groombridge. “Para cada empresa, do varejo à educação, o modelo de entrega tem que ser reconfigurado para abraçar os serviços distribuídos. O mundo não achava que eles estariam experimentando roupas em um camarim digital há dois anos”.

À medida em que os padrões de trabalho migraram, em um primeiro momento, massivamente para o ambiente remoto, e posteriormente para o híbrido, com retornos esporádicos para os escritórios, sabe-se que as empresas passaram a aplicar um conceito chamado de “empresas distribuídas”. Uma vez que os colaboradores passaram a estar posicionados em locais geograficamente distintos, as equipes se tornaram, como o próprio nome define, distribuídas.

Entenda em que consiste o novo termo e como é possível se adequar aos novos tempos de Empresa Distribuída

A Empresa Distribuída compreende a série de tecnologias nas quais os CIOs contam para apoiar equipes distribuídas durante a pandemia e os novos modelos operacionais que estão desenvolvendo para facilitar o trabalho híbrido conforme a pandemia diminui. 

Os exemplos incluem espaços de trabalho habilitados para nuvem, ferramentas de colaboração e monitoramento para a força de trabalho híbrida, novas ofertas de suporte remoto e modelos de segurança de confiança zero.

Eles também serão participantes importantes na construção de novos modelos de negócios, tanto físicos quanto virtuais, para “reconectar-se” com consumidores independentes de localização, especialmente nos setores de hospitalidade, varejo, saúde e serviços financeiros.

Aplicativos compostos fazem parte de estratégias de Gartner

Ainda no ano passado, o Gartner, empresa global de consultoria, indicou que cerca de 47% dos “trabalhadores do conhecimento” (aqui podemos destacar setores como o de tecnologia da informação, engenharias, design thinking, entre outros) trabalham remotamente em 2022, contra 27% que já executavam essa forma de trabalho antes da pandemia.

Foi com base neste dado que a consultoria citou o termo da Empresa Distribuída entre as 12 tendências de 2022, já que engloba as tecnologias necessárias para dar suporte a estes colaboradores que não ficarão mais em casa, tampouco retornarão definitivamente ao escritório, e sim, viverão neste meio-termo, transitando por ambos os ambientes.

Para suportar essa evolução das Empresas Distribuídas, é necessário pensar em estações de trabalho que contem com o apoio dos sistemas em Cloud, ferramentas e soluções de segurança corporativa semelhantes às encontradas nas sedes das companhias e dos data centers. Tudo isso, sem que a performance e a qualidade das entregas sejam prejudicadas.

Diferentes formas de trazer a Empresa Distribuída para o mundo digital e adequá-la às demandas atuais

shutterstock 1402678679 1 - Tag Chat

A Empresa Distribuída depende de serviços em nuvem, WANs, telecomunicações wireless e móveis para conectar a sede e filiais/sites de campus, sistemas de POS e endpoints móveis.

Ao passo que sua empresa cresce e adentra novos mercados, você precisa estar onde seus clientes estão. E que isso signifique abrir uma filial para atender às necessidades de seu mercado atual ou uma franquia para expandir para um novo mercado, o crescimento de sua empresa pode sobrecarregar seus recursos que já são limitados e criar novos riscos à segurança.

As Empresas Distribuídas de hoje estão em uma luta constante para proteger adequadamente diferentes locais, mas sem adicionar mais complexidade do que sua equipe limitada pode lidar. Você também precisa garantir que as políticas de segurança sejam implementadas de forma consistente e possam ser gerenciadas eficientemente na sede.

O estudo aborda a tendência de consolidação do conceito de Empresa Distribuída, nesse período em que se mantêm os padrões de trabalho remoto e híbrido. “Isso requer que os executivos de TI façam grandes mudanças técnicas e de serviços para oferecer experiências de trabalho sem atrito, mas há um outro lado nessa moeda: o impacto nos modelos de negócios. 

Para cada empresa, do varejo à educação, o modelo de entrega tem de ser reconfigurado para abraçar os serviços distribuídos”, disse Groombridge. As Empresas Distribuídas são impulsionadas pelo enorme crescimento em padrões de trabalho remotos e híbridos. Afinal, as organizações tradicionais centradas em escritórios estão evoluindo para empresas distribuídas geograficamente. No entanto, essas operações irão estressar a rede que dá suporte a usuários e consumidores. Portanto, as empresas precisarão rearquitetar e redesenhar para lidar com isso.

Sabia que:

A Gartner, consultoria de mercado em tecnologia, anunciou no início do ano, quais eram as 12 tendências estratégicas em tecnologia que devem ser exploradas por líderes do setor, em 2022? Saiba quais são elas: Tecido de Dados ou Data Fabric, Cibersegurança, Privacidade em Computação, Rede Global na Nuvem, Computação, Compostos e Aplicativos, Inteligência de Decisão, Hiperautomação, IA de Engenharia, Distribuído Empresa Total ou Empresa Distribuída, Experiência Autonômica, Sistemas e IA Generativo.    

Abordamos aqui, ao longo das últimas semanas, cada uma das 12 estratégias, separadamente, para você. Já falamos de Tecido de Dados ou Data Fabric, Cibersegurança, Privacidade em Computação, Rede Global na Nuvem, Computação, Compostos e Aplicativos, Inteligência de Decisão, Hiperautomação e IA de Engenharia e o tema da vez hoje, foi Distribuído Empresa Total ou Empresa Distribuída, ainda restam mais dois temas, que trataremos na próxima semana. Fique ligado. 

Links pesquisados 

www.umov.me

www.abessoftware.com.br

www.brasiline.com.br

www.canaltech.com.br

www.watchguard.com

www.aiotbrasil.com.br

www.infonova.com.br