logística
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

A logística é um fator muito importante quando o assunto é transformação digital. Com preços atrativos e maior comodidade para o consumidor, o comércio eletrônico se tornou um dos setores mais importantes do varejo e transformou o mundo dos negócios.

Além disso, muito tem se falado do conceito 4.0, definido como a Quarta Revolução Industrial, baseada no avanço do mundo digital. Ou seja, estamos na era da tecnologia de ponta, o que implica numa série de mudanças no jeito de fazer compra e venda e principalmente, implica em fazer chegar ao consumidor os itens adquiridos de forma ágil.

Temos inseridos nesse cenário empresas dos mais diversos segmentos e que precisam gerenciar processos logísticos que vão desde a armazenagem dos produtos até o envio para o cliente final. Um desafio que tem impactado tanto marcas nascidas no e-commerce quanto empresas que utilizam vendas online em paralelo às lojas físicas.

No artigo de hoje vamos falar um pouco sobre o papel da logística para determinar o sucesso ou fracasso de um e-commerce. Além disso, vamos te ajudar a estruturar alguns pontos do processos logísticos ao longo das etapas relacionadas às vendas online. Acompanhe até o final, vai ter conteúdo bônus.

Logística: na imagem é possível ver um mapa com vários pontos interligados com linhas em azul.
O comércio eletrônico se tornou um dos setores mais importantes do varejo e transformou o mundo dos negócios

Logística

Antes de falarmos sobre a importância da logística para as vendas online, vamos destacar alguns dados sobre o
e-commerce no Brasil. Segundo informações da Neomove e Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o setor teve R$59,9 bilhões de faturamento em 2017, um crescimento de 12% em relação ao ano anterior. Ao todo foram 203 milhões de pedidos, com um tícket médio de R$294.

Os dados acima estão diretamente associado à logística. Mas, para ter controle sobre o processo, é preciso integrar todos os sistemas. Até por que, de nada adianta comprar rapidamente um produto na internet, e demorar dias ou até meses para ter acesso ao mesmo. Para facilitar o processo a transformação digital surge na logística como uma aliada.

É importante deixar claro que a forma como a logística do e-commerce é estruturada depende do modelo de cadeia logística utilizado pela empresa. Cada modelo apresenta potenciais e limitações próprias. Vamos comentar, de maneira breve, sobre os três principais modelos, acompanhe:

In house

A gestão é feita pela empresa que vende os produtos e é o próprio comerciante que controla as etapas do processo, desde a armazenagem até a entrega ao consumidor. A vantagem está no controle do processo, o que também facilita uma visualização ampla de todas as ações. O modelo é mais adequado para grandes empresas do que para médias e pequenas, já que demanda mais estrutura e investimentos.

Outsourcing

As operações logísticas de transporte e entregas são feitas por uma empresa contratada. No outsourcing a
empresa terceirizada é especializada na gestão da logística. O modelo é mais vantajoso para empresas que não podem ou não querem ter serviços próprios de logística. A desvantagem é não possuir controle sobre o processo como um todo.

Dropshipping

Modelo no qual a empresa vende sem ter estoque. O vendedor recebe os pedidos e repassa ao fornecedor que encaminha a encomenda ao cliente em nome da empresa de vendas. Usado por muitas empresas e vendedores autônomos, o modelo têm custos menores que o In House, já que não é preciso gerenciar processos logísticos de embalagem, envio e transporte, por exemplo.

Podemos citar como desvantagem do Dropshipping o fato do empreendedor não ter controle sobre as etapas da logística, o que faz com que a empresa de vendas dependa da agilidade e das informações dos fornecedores.

Superando desafios

Hoje, superar o desafio é entender e resolver as dificuldades encontradas nos processos das cadeias de suprimento, que são o calcanhar de Aquiles da transformação digital no que tange a logística. Muito mais do que isto, a realidade exige que empresas compreendam que este é um dos fatores primordiais para se integrarem de vez na era 4.0.

Podemos dar como exemplo a entrega de vacinas contra o Covid19. Se não fosse o aperfeiçoamento do processo de logística, em plena época de Transformação Digital, não seria possível que as doses, que tem prazo de validade bastante exíguo, chegassem aos braços dos brasileiros, nos diferentes pontos do País, de forma tão eficaz.

Por meio das novidades tecnológicas, já é possível automatizar fluxos complexos e obter resultados de forma rápida. Um exemplo claro disso é a solução de notificação do TagChat. Envie notificações de rastreio de pedido em tempo real e informe seu cliente sobre a previsão de chegada, tudo de forma automática e via WhatsApp.

Com o TagChat é possível reduzir em até 50% a troca de mensagens com os clientes. “Perdíamos muito tempo com envio de rastreios para nossos clientes. Hoje, com o TagChat, esses envios são feitos de forma automática. Nosso tempo agora é destinado ao cliente”, comenta Rosemary Moraes, do ateliê Arte da Meire.

Veja também: 85% dos atendimentos são feitos por Inteligência Artificial

Logística: na imagem é possível ver um departamento de logística organizado
Empresas brasileiras estão num processo incipiente no que diz respeito a digitalização da gestão de frotas e logística

Logística estratégica

A logística é uma área estratégica com grande diferencial competitivo: é a interface com os clientes, sejam eles internos ou externos, que representa grande parte da experiência de compra e de atendimento e, somado a isso, ainda é uma área com grandes desperdícios.

No cenário brasileiro, o que se observa é que as empresas ainda estão num processo muito incipiente no que diz respeito a digitalização da gestão de frotas e logística, existindo espaço para a implementação de novas soluções digitais, que irão, por sua vez, aumentar a produtividade das empresas.

Para comprovar esta realidade, estudo realizado em 2017 pela empresa Zebra indica que 55% das empresas ainda utilizam papel e lápis para registro de dados em suas operações logísticas e de acordo com a PwC (2019), 50% das empresas possuem déficit de digitalização.

Por outro lado, uma pesquisa da Fenatran, divulgada em 2019, evidencia que 26% das empresas de transporte não tem soluções para gestão de frotas, 55% delas desejam investir na aquisição ou modernização desses sistemas e 58% desejam adquirir ou modernizar o sistema de rastreamento.

A partir de agora vamos traçar um paralelo sobre o impacto da logística para o e-commerce e as boas práticas que podem ser adotadas em cada uma das etapas da operação do comércio digital. Para isso, vamos comentar brevemente sobre seis etapas do processo, acompanhe.

1. Controle de estoque e armazenagem

A gestão adequada do estoque garante o bom funcionamento do e-commerce. Um controle de estoque eficiente pode evitar a falta e o excesso de mercadorias. Por conta disso, a gestão de estoque deve passar por um trabalho constante de planejamento e adequação para otimizar recursos, tanto de trabalho, quanto financeiros.

2. Preparação do pedido e embalagem

Se preocupe com a embalagem. O embrulho demonstra o cuidado e a personalização que sua empresa oferece ao
cliente. Escolher o tipo de embalagem mais adequado para cada produto é uma preocupação básica para garantir a integridade do produto.

As embalagens ainda podem ser usadas como espaço de divulgação e diferenciação da sua marca no mercado. Receber um pacote personalizado, com um cartão especial faz toda diferença para sua marca. E, consequentemente, pode contribuir para que o cliente se encante e faça novas compras.

3. Frete

Vamos falar sobre um dos pontos mais cruciais quando o assunto é estruturar os serviços de e-commerce. O frete, além de interferir na infraestrutura logística, também influencia o consumidor na hora de realizar suas compras. Frete grátis costuma ser um dos principais atrativos para o consumidor.

Mas é preciso tomar muito cuidado, uma promoção com frete gratuito faz com que as vendas cresçam em determinado período e seu processo logístico precisa estar estruturado para atender essa demanda, mantendo a qualidade do serviço.

4. Transporte

Uma das principais questões que envolvem o comércio eletrônico em termos de logística é escolher entre Correios, transportadora ou ambas as opções de entrega. Para isso, cabe avaliar vantagens e desvantagens de cada serviço e como cada uma delas impacta na logística do seu negócio.

No caso dos Correios as vantagens são o alcance nacional, ferramentas automáticas para cálculo de frete, rastreamento de objetos e integração com e-commerce. Dentre as desvantagens, temos restrições de tamanho e peso, além da limitação causada pelas áreas de risco e a possibilidade de greve.

As transportadoras, por outro lado, conseguem negociar o valor do frete e não tem limitação de peso. As principais desvantagens são as restrições regionais, valores mais altos de frete e sofrem com a falta de uma integração eficiente com o sistema de e-commerce.

5. Rastreamento e controle de entrega

A compra pela internet, mesmo estando cada vez mais popular, ainda é uma prática que gera desconfianças no consumidor. Para melhorar a experiência do seu cliente em relação à espera, é de extrema importância que o e-commerce tenha um sistema de rastreamento que funcionem de maneira eficiente.

Um rastreamento otimizado e integrado facilita a comprovação da entrega e oferece mais transparência na comunicação com o cliente, o que melhora a imagem da sua empresa no mercado. Você sabia que mais de 50% dos atendimentos de um e-commerce, são dúvidas referentes à atualizações e rastreamento dos pedidos?

Com a solução de rastreamento do TagChat, a cada mudança no status da encomenda, uma mensagem é enviada no WhatsApp do seu cliente. Além de promover a otimização do tempo de atendimento da sua equipe, a ferramenta ainda te ajuda a manter seus clientes satisfeitos. Para saber mais, basta clicar aqui.

6. Logística Reversa

A logística reversa nada mais é do que o processo para recolher materiais já usados pelo consumidor. No caso do e-commerce, é usado para estruturar processos de troca de mercadorias. Para otimizar o retorno dos produtos é preciso integrar rota de entrega e coleta e otimizar a rotina de distribuição dos produtos e a produtividade da frota.

Logística: na imagem é possível ver uma mulher conferindo alguns códigos de rastreio
Integrar plataformas de e-commerce e gestão de logística é essencial para que os dados estejam alinhados

Sistemas inteligentes

Quem trabalha com vendas online sabe da importância de ter uma plataforma de e-commerce que atenda às necessidades do negócio e que suporte o processo de vendas. Assim como as plataformas, ferramentas de gerenciamento logístico tem papel fundamental para que todo processo funcione de maneira adequada.

Integrar plataformas de e-commerce e gestão de logística é essencial para que os dados estejam alinhados. Sistemas integrados podem recomendar rotas específicas, de acordo com preferências definidas anteriormente. Também é viável padronizar a armazenagem por meio da conexão de dispositivos inteligentes, via Internet das Coisas (IoT).

A IoT nada mais é do que um conceito de interconexão digital que conecta todos os aparelhos, desde que eles tenham capacidade computacional e de comunicação para agilizar o funcionamento de aparelhos, de modo a serem acionados por sistema de voz ou com apenas um comando.

Quando usamos tecnologia para modernizar a gestão logística, softwares otimizam toda a cadeia e ainda garantem vantagens competitivas para as empresas. As inovações tecnológicas usadas por essas ferramentas conferem benefícios para o e-commerce por meio de recursos como:

  • Roteirização de Entregas: otimização e o acompanhamento dos envios;
  • Monitoramento de Cargas: otimização da distribuição das encomendas;
  • Sistema de Alerta e Canais de Comunicação: oferece comodidade ao cliente na hora de receber uma encomenda;
  • Coleta e Análise de Dados: identificação rápida de falhas no processo logístico.

Previsibilidade e eficiência na entrega

Com softwares integrados, é possível ir muito além do simples e básico controle por GPS. As novas tecnologias permitem o rastreamento do motorista em tempo real, acompanhamento de cargas e disponibilização de informações precisas e atualizadas para todas as pontas envolvidas.

Hoje, com a existência do Big Data, é possível fazer toda previsão do negócio, identificar as principais necessidades de transporte e prever demanda de veículos com exatidão, antes de se lançar em determinados projetos que podem ser prejudicados pela falta de previsibilidade. Também é possível ter mais inteligência sobre o mercado e suas exigências.

Entre as ferramentas de logística dos novos tempos, estão recursos completos e repletos de funcionalidades. Os sistemas e softwares de gestão permitem acompanhar os vários pontos da cadeia de valor. Dá para ter informações sobre estoque, compras, vendas e entregas.

Cloud computing

Um bom aplicativo também pode fazer o controle das operações em uma única tela. Com essa visão amplificada do processo, fica fácil tomar decisões mais acertadas. A computação em nuvem é outra forma de conquistar melhor desempenho quanto à comunicação e mobilidade, o que viabiliza o funcionamento de diversas soluções.

Os clientes do e-commerce têm pressa, querem receber suas entregas no menor tempo possível e com o melhor preço. É necessidade do mercado online que os métodos de entrega se atualizem e tornem-se mais eficientes e seguros, visto as diversas situações de atrasos de entrega, burocracia dos Correios e o grande número de roubo de cargas que ocorrem diariamente pelo país.

Uma das transações que mais se beneficiam desta mudança é contratar serviços que possam gerir o tráfego de fretes, de modo a se beneficiarem da transformação digital na logística. Por meio de sistemas de transporte como o TMS, você consegue solicitar e monitorar um serviço com mais eficácia.

O TMS, conhecido por ser um Sistema de Gerenciamento de Transporte ou Sistema de Gestão de Transporte e Logística, é um software usado para melhoria da qualidade e produtividade de todo processo de distribuição. O sistema ainda permite controlar toda a operação e gestão de transportes de forma integrada.

E-Digital

Diante da necessidade de transformação tecnológica no mercado brasileiro, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações instituiu a Estratégia Brasileira para a Transformação Digital, mais conhecida como E-Digital.

Um dos grandes objetivos do documento é fomentar a digitalização dos negócios do país, por meio de ações estratégicas, citando diretamente a importância dos e-commerces para alavancar o desenvolvimento digital das empresas brasileiras. Você pode ver um pouco mais sobre algumas tendências do setor ao clicar aqui.

Para o governo, está claro o potencial do País para o desenvolvimento, principalmente quando falamos de fatores logísticos. A iniciativa evidencia gaps que devem ser melhorados, como a simplificação dos sistemas fiscais e legais, que não são necessariamente de responsabilidade das empresas, mas sim de órgãos governamentais encarregados.

E aí, gostou do conteúdo? Para ficar sempre antenado com as novas tecnologias, siga as redes sociais do Tag Chat e se inscreva para receber o nosso newsletter. Até o próximo artigo.