Tecnologia
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

O chatbot invadiu o dia a dia do homem do campo e já faz parte de suas rotinas. A inteligência artificial e a tecnologia, por sua vez, já revolucionam processos em diversos segmentos e no ramo do agronegócio não é diferente. Na realidade atual do setor, o que se vê é o uso de equipamentos com internet das Coisas (IoT), sensores de temperatura, DNA de sementes, drones e Big Data.

Em parceria com o WhatsApp, o chatbot permite uma comunicação rápida, eficiente e sem necessidade de sistemas robustos, como um computador ou sistema específico para comunicação. Tudo é feito de maneira simples. Para ter acesso a toda essa inovação, a única coisa que você precisa é um aparelho celular nas mãos.

A facilidade permite que o cliente entre em contato com o produtor rural, solicite informações técnicas diretamente aos especialistas e tire eventuais dúvidas com os responsáveis pelo produto. Ao ter um canal de comunicação interna via chatbot, empresas do agronegócio conseguem atender chamados de seus usuários de maneira ágil e interativa.

Ainda graças à tecnologia, a internet já está presente em boa parte das áreas rurais. Portanto, nada justifica a ausência de informatização dos mecanismos de controle da produção, a mecanização de processos, e claro, o total entrosamento do escritório com as respectivas áreas de produção.

Para tanto, robôs permitem não apenas a agilização de processos, como a viabilidade de compra e venda. Para isso, basta que se adquira as ferramentas que funcionem como facilitadores de todo o processo produtivo do agronegócio. E tudo pode começar pela instalação de um chatbot para melhorar a comunicação, seja ela interna ou externa.

O mercado tecnológico está avançado nesse ponto. Já existem algumas ferramentas que oferecem soluções para atendimento via chatbots integrados a diversas plataformas. É o caso do Tag Chat, que além de ser um omnichannel, ainda possui funcionalidades e integrações que vão desde o contato com o cliente até emissão de notas fiscais. Tudo enviado diretamente para o WhatsApp.

Já existem algumas tecnologias que oferecem soluções para atendimento via chatbots integrados a diversas plataformas
Algumas ferramentas já oferecem soluções para atendimento via chatbots integrados a diversas plataformas

Abandone os formulários

Você está perdendo vendas e temos como provar. Nossa equipe entrou em contato com 126 empresas que usam o formulário como única forma de comunicação com o cliente. Desse teste, recebemos apenas 6 retornos, 3 deles via WhatsApp. Uma forma de evitar que essas perdas aconteçam é estar sempre presente.

Nosso chatbot, além de fazer a captação de leads ainda os qualifica com perguntas 100% editáveis, personalizadas e direcionadas para seu nicho de negócio. Esses dados, depois de coletados, são enviados para seu WhatsApp, assim a comunicação pode ser iniciada imediatamente.

Chatbot no agronegócio

Por mais estranho e ilógico que pareça, o fato é que as exportações brasileiras de carne bovina atingiram números recordes nos últimos dois anos e atingiu o índice de 1.866.500 toneladas em 2019 e 2.012.900 toneladas em 2020. Ou seja, estamos em plena pandemia e mesmo assim, os números são recordes.

O que leva a pergunta sobre o que está por trás destes números, apesar da recessão global e da depressão dos serviços gastronômicos? A resposta pode ser mais óbvia do que pensamos. Sem qualquer sombra de dúvida, a tecnologia tem um peso fundamental nestes números.

A estimativa é que o Brasil responda por 25% do mercado mundial de carne bovina, em 2021. Se formos além, os números podem não ser tão bons, isto, porque apesar da exportação da carne ter sido excelente, o fato é que a pecuária brasileira, como um todo, poderia ter um desempenho muito superior ao que tem hoje.

De acordo com dissertação apresentada à Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas, EESP – FGV, denominado: “Valor agregado em propriedades pecuárias que adotam tecnologias e melhores práticas produtivas“, fica evidente que um dos fatores determinantes para o baixo desempenho da maioria dos produtores brasileiros está ligado à falta de manejo adequado das pastagens. Algo solucionável por meio de tecnologia.

O estudo ainda aponta que o Brasil está coberto por milhões de hectares de pastagens degradadas que comprometem significativamente o potencial produtivo. Para mudar o estado atual do agronegócio, a chegada da tecnologia tem sido fundamental.

Solução de origem brasileira, o TagChat tem suas forças voltadas para detalhamento, planejamento e agendamento de visitas com uso de geolocalização e acompanhamento das atividades do agrônomo ou do produtor rural. Por meio de integrações com sistemas variados, ainda é possível fazer a verificação de pedidos, eventos realizados, levantamento comercial, financeiro, contábil, recebimento de grãos e suprimentos.

Com a solução, tornam-se mais dinâmicas as rotinas de tarefas e tomadas de decisões baseada em dados sólidos e confiáveis extraídos pela ferramenta. O dashboard é intuitivo e ágil no recebimento de informações. Os dados podem ser reaproveitados de forma otimizada e prática, com transparência e segmentação, tudo isso de forma centralizada.

Mas por qual motivo o homem do campo começou a se digitalizar e aderir a tecnologias tão distantes da sua realidade? A resposta para essa pergunta é bem simples: otimização do tempo, automação de processos rotineiros e redução de custos.

A automatização de processos atrelada à inteligência artificial faz do chatbot uma ferramenta com índice muito baixo de erros. Esse é o principal responsável na redução de custos com retrabalhos e na realização de tarefas automáticas em grande escala, como envio de cobranças, por exemplo.

O fato dessas ferramentas funcionarem também como sistemas multicanais facilita ainda mais a vida do homem do campo, pois permite centralizar variadas plataformas, como WhatsApp, Facebook, Instagram, Telegram e Twitter em um único lugar e proporcionar redução de gastos com outros aplicativos, já que o chatbot se integra a todos eles.

O chatbot, e todas as tecnologias que o envolve, ainda permite que o homem do campo elimine as lacunas entre dados, insights e as ações a serem tomadas. Uma maneira simples de transformar dados brutos em resultados notáveis e mensuráveis, com integrações em nuvem de ponta a ponta.

Já existem algumas tecnologias que oferecem soluções para atendimento via chatbots integrados a diversas plataformas
O chatbot permite que o homem do campo elimine as lacunas entre dados, insights e as ações a serem tomadas

Tecnologias usadas no campo

Que a tecnologia está cada vez mais presente no seu dia a dia, isso já sabemos. Vou mostrar a vocês em detalhes algumas que podem ajudar no monitoramento da produção agrícola. Mas calma, você não vai precisar ser um especialista em novas tecnologia para implementá-las. Eu garanto.

1. Sensores

Ferramentas indispensáveis na agricultura moderna, os sensores possibilitam desde o monitoramento da umidade do solo até a temperatura. Além disso ainda são capazes de monitorar o crescimento das plantas. Por possuírem tecnologia 4G, os dados monitorados são captados em tempo real.

O monitoramento feito por sensores é muito mais preciso, rápido e de fácil visualização, o que permite uma rápida tomada de decisão para soluções de problemas dentro da produção agrícola. Essa agilidade também possibilita segurança nas ações a serem tomadas, já que os dados te mostram exatamente qual é o problema da lavoura.

2. GPS

A tecnologia GPS, ou Sistema de Posicionamento Global, tem sido aplicada há alguns anos em larga escala na agricultura. Seu uso começou e continua forte até hoje nos tratores agrícolas. O GPS funciona como um “mapa” que ajuda nas linhas de plantio, calcula a velocidade do trator e a direção do deslocamento.

O GPS possibilita uma série de outras aplicações e benefícios para a produção agrícola, tais como:

  • Mapeamento completo da plantação;
  • Total mapeamento da produção;
  • Amostragem virtual do solo e do campo;
  • Monitoramento e inspeção dos processos agrícolas;
  • Localização exata de amostras de solo;
  • Coleta e análise de dados da plantação;
  • Controle e navegação de máquinas durante o serviço.

A tecnologia ainda possibilita um aumento da qualidade dos processos agrícolas e aperfeiçoamento de tarefas.

3. Drones

Munidos de câmeras e sensores, os drones são pequenos, leves e capazes de captar imagens de resolução muito superior às de satélite. Além disso tudo, ainda são econômicos. O monitoramento aéreo pode reduzir o custo de produção em até 20%.

Com eles é possível detectar com precisão focos de pragas, estresse hídrico, déficit de nutrientes e danos ambientais. A coleta desses dados possibilita ao homem do campo aumentar a produtividade e poupar recursos. A tecnologia dos drones tem inovado a agricultura, pois permite, através de imagens e algoritmos específicos, a coleta das seguintes informações:

  • Contagem das plantas;
  • Medição da altura da plantação;
  • Detecção de pragas;
  • Medição da eficácia de tratamentos e do uso de pesticidas;
  • Monitoramento da necessidade de água e insumos;
  • Verificação de falhas no plantio, entre outros.

Com todos os dados coletados, os drones ainda possibilitam que o agricultor tome decisões rápidas contra qualquer tipo de ameaça a plantação.

4. Big Data

Muitas empresas do agronegócio estão apostando no Big Data. O objetivo é capturar dados que, quando interpretados de maneira correta, podem ajudar na competitividade do negócio. A ferramenta tem elevado a produtividade no campo e permitido a redução de custos.

Tudo isso, graças a uma tecnologia que captura dados por meio de sensores específicos. Os mesmos são detalhados e concentrados em um banco de informações, que apresentam recomendações de plantio cultivo. O resultado gerado é uma grande melhoria na tomada de decisão para empresas e produtores rurais.

Com a ajuda de sensores e softwares, é possível otimizar a taxa de aplicação de produtos químicos e ainda possibilita selecionar o melhor local para o plantio. Os dados ainda mostram a fertilidade e umidade do solo, além de fatores climáticos como precipitação, temperatura e velocidade dos ventos.

Depois desse apanhado sobre chatbot e tecnologias que ajudam a vida do homem do campo, gostaria de saber se você, que me acompanhou até aqui, gostou do conteúdo? Deixe um comentário com dicas dos conteúdos que gostaria de ver por aqui. Para ficar sempre antenado, siga as redes sociais do Tag Chat e se inscreva para receber o nosso newsletter. Até o próximo artigo.